dia-das-maes

Coisa para Mulher (ou Feliz Dia das Mães)

Coisa para Mulher (ou Feliz Dia das Mães)

O mundo me ensinou: tem coisa que “é para Mulher”. Não adianta insistir ou inovar. Desde que o mundo é mundo, sempre disseram: há cor que “é para Mulher”, há objeto que “é para Mulher”, há emprego que “é para Mulher” e, inclusive, há cargo na igreja que “é para Mulher”. Hoje é um dia, inclusive, que “é para Mulher”, o Dia das Mães. E como os dias “para Mulher” não são muitos, convém escrever aqui “coisa para Mulher”. É o que farei nesse breve espaço.

Nossa Bíblia, disse o mundo, é de homem, então é difícil encontrar textos “para Mulher”. Mas, num esforço hercúleo, achei em Marcos um texto bem “para Mulher”. É a cura da sogra de Pedro, ali, logo no primeiro capítulo (Mc 1.29-31). E devo explicar porque convém chamá-lo de texto “para Mulher”: é pequeno, tem cara de insignificante; a personagem é a sogra de um homem, ou seja, depende da figura da esposa de Simão, outra Mulher; e, no fim, ela está servindo, coisa “para Mulher”.

Estudemos o texto:

A cena é simples, há um problema e uma resolução. O problema é que, ao chegarem da sinagoga à casa de Simão, a sogra de Simão está enferma. A resolução é Jesus curá-la. Os personagens são igualmente simples, Tiago e João são paisagem e Simão e André servem como placa para sabermos de quem é a casa. Só dois personagens tem ação no texto. O primeiro é Jesus, que (1) entra na casa, (2) é informado da doença, (3) aproxima-se e (4) pega a mão. O segundo personagem é a sogra de Pedro, que (1) está acamada, com febre, (2) é curada e (3) passa a serví-los.

“Passa a servi-los”… servir a casa, o almoço, fazer a faxina? O que significa “servir” (grego: diakoneo) em Marcos? A palavra surge quatro vezes no Evangelho. Em Mc 15.40-41,  fala de mulheres servindo a Jesus e em Mc 1.13 anjos servem Jesus. Se parássemos aqui, entenderíamos esse serviço como um serviço de casa ou algo como um serviço de delivery celestial. Entretanto, no texto de Mc 10.35-45 quem serve não são anjos e nem são mulheres, mas o Filho do Homem! Há algo errado aqui. Que tipo de serviço é esse, que Jesus diz fazer? Jesus diz vir para “servir e dar a vida em resgate por muitos”? Como Jesus fazer a faxina ou servir almoço resulta em dar sua vida por muitos?

A verdade é que fomos enganados! Nosso preconceito nos enganou! Associamos o “servir” da sogra de Pedro à faxina, enquanto o texto nos contava a história do chamado da primeira discípula de Cristo, discípula como homens (Mc 1.16-20) e como outras mulheres (Mc 15.40-41;16.1-8). Hoje nosso preconceito ainda nos engana. Pensamos em nossas sogras, mães, filhas, irmãs, amigas e colegas não como discípulas de Cristo, mas sob o estereótipo negativo de “mulheres”, pois o mundo nos ensinou assim.

No Reino de Deus, não há “coisa para Mulher”. O que existe são pessoas que fazem a vontade de Deus: Jesus, Anjos e Mulheres, os quais devemos seguir o exemplo de serviço (Mc 10.42-45). Nesse Dia das Mães, não pense sem sua mãe sob um estereótipo, como o mundo te ensinou, mas como Jesus ensinou, com um amor real. Ame sua mãe.

 

Silas Klein.
Presbítero na IEC de Vila Vera e Professor do IBK, área de Bíblia.

Sem Comentários

Postar um comentário

Comentar usando o Facebook

FemecSP